quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Concurso de natal

Para esta semana (e atenção que a semana já vai a meio) o Espacinho do animal resolveu dar largas à imaginação e apostar num novo concurso! 

E o concurso consiste em:

  • Fazer poesia em quadra com as palavras "Natal" e "patinhas".
  • Enviar fotografias dos vossos animais, (cão ou gato) com roupa e/ou adornos alusivos a esta época natalícia. Podem ser gorros, ganchinhos, óculos... o que quiserem!
E os vencedores serão os 3 melhores (mais criativos, engraçados)!!! 

Aguardo muita imaginação da vossa parte e que desfrutem desta sessão fashion e comemorativa a esta época natalícia vinda dos vossos animais. 

As fotos e os poemas terão que ser enviados para o e-mail: espacinhodoanimal@gmail.com

Boa sorte a todos os participantes! :)

Feliz natal miau miau... ão ão!!

O Espacinho do animal deseja a todos os leitores um Feliz Miau Miau... eheheh :) brincadeira! 

E foi na brincadeira que vesti este lindo gorro de natal ao meu gato... o Tigre. 

Vejam só como ficou lindo:



terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Cão da semana - Mona

Para começar bem a semana mostro-vos uma cadelinha muito linda e divertida! A cadela chama-se Mona e é a felicidade da sua dona Maria Cristina Gomes. A Mona tem uma característica muito interessante, é bastante divertida e está sempre pronta para as suas traquinices!





















O Espacinho do animal espera que a leitora tenha gostado de ver a sua linda cadela neste blog :)

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Cão da semana - Lucy

Esta semana o Espacinho do animal continua com mais novidades.... A novidade desta semana é a Lucy! Uma cadela bastante divertida, sempre pronta para a brincadeira. Com seu lindo pêlo sentada na sua bela cadeira é a alegria da sua dona, Eduarda Garcia.


O Espacinho do animal espera que a leitora tenha adorado ver a sua cadelinha no blog! :)

Espacinho do animal está de volta

Boa noite leitores! 

Como devem ter reparado o blog tem andado sem post's porque não tenho tido tempo para aqui vir... Ohh, mas o que importa é que o Espacinho do animal está de volta com novos post's e novos animais... Ou vocês achavam que este Espaço vos iria abandonar?! Claro que não! E porquê? 

Porque é dedicado aos vossos 4 patinhas :)

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Cão da semana - Maguiie

Tal como as outras semanas nesta o cão eleito também é bastante engraçado. A particularidade mais engraçada é que esta semana é uma cadela!!! É muito bonitinha, vaidosa, tem um lindo ganchinho e é o brio da sua dona, Elisangela Costa.



O Espacinho do animal espera que a leitora tenha ficado orgulhosa e "vaidosa" de ver a sua cadelinha :)

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Cão desta semana - Play

Esta semana o cão eleito e que estará visível no blog chama-se Play, foi enviado pela leitora Beatriz Ribeiro. Este cão tem algo de invulgar... é bastante fofinho, adora lamber-se e tem muito pelinho, de certeza que é o orgulho da dona :)



O Espacinho do animal espera que a leitora tenha gostado de ver a foto do seu lindo cãozinho neste blog... :)

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Cão desta semana - Rex

Esta semana como tem acontecido nas outras chega-nos sempre a foto de um animal, o mês passado foi o mês do gato e este mês o do cão. E como não é excepção esta semana chegou-nos a foto de um cão muito fofinho, com ar divertido e uma língua muito marota, o traquinas chama-se Rex e foi enviado pelo leitor Paulo Ferreira. O espacinho do animal espera que o leitor tenha gostado de ver a foto do seu cãozinho neste blog.


Não se esqueçam, continuem a enviar as fotos do vossos cães para o e-mail:

espacinhodoanimal@gmail.com

Beijinhos a todos**

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Animal do mês - cão

Olá pessoal!!! Este mês o animal eleito foi o cão e como prometido todas as semanas haverá a foto de um cão novo aqui no blog, mas para isso preciso da vossa ajuda e preciso que todos vocês continuem a enviar fotos para o e-mail: espacinhodoanimal@gmail.com...

Em breve haverá novidades...

(Beu beu)

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Gatos desta semana: Pantufa e Boneca

Esta semana chegou-nos a foto de uns gatinhos muitos fofinhos, a Pantufa e a Boneca enviados pela leitora Dora Semião. Como prometido a foto estará vísivel durante toda a semana no canto superior direito deste blog. O espacinho do animal espera que a leitora tenha gostado de ver a foto dos seus gatinhos neste blog...


Para a semana será o mês do cão, começa já a pensar em enviar as tuas fotos de cães para espacinhodoanimal@gmail.com

Espacinho do animal conta com todos vocês!
Beijinhos *

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Encontra-se cada coisa na internet...

Até os animais são alvo de serem metidos ao barulho nas campanhas eleitorais. Uma vez por outra lá vou eu espreitar o que se passa na página do facebook "Tesourinhos das Autárquicas 2013" e o que foi que encontrei desta vez??

Uma campanha que se serviu dos "nossos" animais de estimação, coitadinhos, sem puder ter voto na matéria com a seguinte frase "Se a gente pudesse votava em Vítor Silva". Tudo bem, a criatividade está lá, mas as questões que se levantam perante este cartaz são várias. Primeiro, "Se a gente...." mas desde quando é que os pobres animais são "gente", considero aqui gente como pessoa em puderem votar e antes de tudo isso em pensar em quem votar. Tudo bem os animais pensam, mas pensam em coisas próprias do seu instinto e não em coisas deste género. Lá sabem eles que o senhor Vítor Silva e outros mais e campanhas deste género existem. Depois no canto superior esquerdo refere-se "Não roubem mais este cartaz" hum, interessante! Têm roubado o cartaz? Não percebi. Ainda diz por baixo "Constr. canil/gatil (esterilização/vacinação/desparasitação e chip)" Ok, querem construir um canil e gatil se depois os vão esterilizar? Então e depois como têm cães e gatos para lá colocar no canil/gatil? As outras questões nem se levantam numa altura destas... Fica para uma próxima, acho que isto já deu muita dor de cabeça. Só de ter que pensar que até de animais precisam para se exibir e chamar a atenção... 

Não é que a criatividade não estivesse lá, mas se calhar foi um bocado de mau gosto o que escreveram no cartaz e agora o resto das opiniões ficam para vocês leitores... 



Eu só vos digo uma coisa, tal como disse na minha conta do facebook, para as próximas eleições já sei quem deva levar para votar: Pipa, Sky, Tigre, Farrusca e Princesa.... e mais não digo! **

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Porque é que os gatos se lambem tanto?

A língua do gato, como muitos de vocês já devem ter reparado, é áspera. Possui papilas em forma de ganchinhos formando uma espécie de pente que ao passar pelo pêlo remove a sujeira, para além de manter o pêlo macio e poder tirar parasitas. 

A causa destas lambidelas não se deve apenas a ficar limpinho. Este comportamento dificulta a proliferação de parasitas. Também pode manter o corpo dos animais com a temperatura adequada seja em dias quentes ou em dias frios. 

Se notar que o seu gato está a ter este comportamento excessivamente pode ser sinal de alguma neuropatia, uma doença cerebral, uma inflamação, ou uma doença alérgica na pele que está causando coceira.


Os gatos também se lambem quando não têm nenhuma actividade presente, quando estão sozinhos e ainda quando se sentem stressados. E ainda pode ser instintivo.

É necessário você perceber se o gato não está a tornar isso um vício.

É muito normal ver um gato a lamber-se no final das refeições e porquê pergunta você e muito bem, porque eles gostam de retirar o cheiro do seu corpo para não atrair a atenção de predadores.

Tome atenção a todos os detalhes do seu bichano! :)

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Leishmaniose Canina

A Leishmaniose Canina é uma doença que afecta os cães provocada por um parasita chamado "leishmania" e é transmitido pela picada de mosquitos, Flébotomo. Esta picada invade diversos órgãos como os rins, o fígado, a pele, causando lesões de diversas gravidades e que podem provocar a morte do animal.

Esta doença transmite-se para o cão apenas por mosquitos do género Plebotomus.



Estes mosquitos (também chamados de mosquitos-palha) encontram-se e desenvolvem-se em condições climáticas menos favoráveis, como por exemplo, perto de áreas sujas, poluídas, muito húmidas, no lixo doméstico, perto de edifícios em ruínas, ao redor de árvores velhas.

Sintomas desta doença:
Os animais doentes podem apresentar um ou mais sintomas:
  • Perda de peso
  • Falta de apetite ou apetite exagerado
  • Apatia
  • Debilidade
  • Feridas na pele que não cicatrizam
  • Feridas nos bordos das orelhas
  • Lesões oculares
  • Falta de pêlo à volta dos olhos
No caso dos rins serem afectados o animal bebe grande quantidade de água e urina frequentemente.

Outros animais podem apresentar hemorragia nasal. 

Diagnóstico da Leishmaniose:
Para saber se o seu cão sofre desta doença o mais aconselhado é consultar o profissional veterinário, pois ele fará o diagnóstico necessário.

O diagnóstico definitivo é feito por análises ao sangue ou por pesquisas das leishmanias na medula óssea do animal.

A colheita da medula óssea pode ser realizada apenas com anestesia local.

Prevenção para a Leishmaniose:
Os medicamentos de primeira linha para o tratamento são antímonios, que continuam a ser caros para além de exigirem injecções repetidas e de estarem associados a importantes efeitos secundários.

A vacinação acredita-se continuar a ser uma das melhores esperanças para o controlo de todas as formas da doença.

Não há para já nenhuma vacina eficaz na prevenção da leishmaniose, embora tenham sido experimentadas e estejam disponíveis em certas partes do mundo.

No entanto...
A prevenção passa pela utilização regular de produtos que repelem os mosquitos, produtos estes que também protegem o seu animal contra pulgas e carraças. 

São eles:
  • Coleira Scalibor (cada 4 meses)
  • Pipeta Advantix (todos os meses)
  • Pipeta Pulvex (todos os meses)

Tenha sempre em atenção em:
Evitar passeios em zonas húmidas, perto de charcos ou lagos, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer, uma vez que são zonas de grande actividade dos mosquitos.
Manter o animal saudável, com todas as vacinas em dia, desparasitado e convém que tenha um sistema imunitário forte. 

Estas são as maneiras mais fiáveis de combater o seu 4 patinhas desta doença! :) 

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Como dar banho ao seu cão

A forma mais indicada de dar banho ao seu cão é ao ar livre, apenas em caso de extrema necessidade é que deverá usar a sua casa de banho. Deste modo, poupará a sua casa e obviamente terá mais espaço tanto para o cão como para si. 

Para um banho completo:
  • Coloque o cão num alguidar;
  • Molhe totalmente o seu pêlo;
  • Espalhe champô (pode usar champô suave para bebé ou, melhor ainda, um próprio para cães; outros produtos poderão causar irritações).
Depois de esfregar e massajar bem
  • Retire todo o champô com bastante água limpa.
Deixe sempre o seu cão sacudir livremente a água (recomendo o uso de um avental grande).

Seque o cão com uma toalha ou com um secador eléctrico (habitue-o a este electrodoméstico pois pode vir a ser-lhe útil para os dias de inverno, tenha sempre cuidado para evitar queimaduras).

O seu cão estará limpinho e pronto para outro lavadela daqui a umas semanas ou meses, consoante a necessidade.


E quando o cão se suja na terra durante os seus passeios e brincadeiras?

Neste caso será suficiente um duche rápido com água morna e sem qualquer tipo de champô. Lembre-se que a água é o melhor elemento para lavar. Não submeta o pêlo do seu cão a champôs sem que isso seja realmente necessário.

Animal do mês - gato

Olá pessoal!!! Todos os meses vou eleger um animal do mês para o blog, onde será colocado na parte lateral do blog. Este mês o animal eleito foi o gato então todas as semanas haverá a fotografia de um gato novo na parte direita do blog!!!

Conto com todos vocês, mandem fotos do vosso gato para 


espacinhodoanimal@gmail.com


Será que o teu gato é o eleito?? Participa e verás!!! :D

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Filhos da Tuca

Pois é, como vos mostrei num post anterior a gata Tuca teve 5 filhotes muito lindooos e muito pequeninos. Aqui mostro-vos mais fotos deles.

 

Passatempo dos gatos

O que é que os vossos gatos mais gostam de fazer?? Os meus por exemplo adoram passar o dia a dormir... Exemplo disso era esta gata, que infelizmente já morreu, a Tuca.


Deixem nos comentários qual o passatempo preferido dos vossos gatos! Zzzz :)

domingo, 23 de junho de 2013

Lateral de um olho de um gato

Já repararam na parte lateral de um olho de um gato? Incrível e surpreendente são os adjectivos que utilizo para descrever este facto.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

A Tuca e os seus filhotes!!!

Hoje foi dia de me recordar o momento em que a Tuca teve os seus 5 filhotes (3 gatos e 2 gatas)... Nasceram no dia 24 de Maio de 2011 e foi um momento único e lindo... o momento em que uma gata passa a cuidar dos seus gatinhos bebés com todo o amor!!! :)


sexta-feira, 14 de junho de 2013

Será que os gatos bebés podem beber leite que os humanos ingerem?

Pois é, esta é a pergunta que certamente muitos de vocês já fizeram...

Ao contrário do que muita gente pensa, o leite que os humanos ingerem é prejudicial à saúde do gatinho e pode matá-lo. Tem que lhe dar leite próprio, que na fase inicial da vida do gatinho, não pode ser o leite que existe nos supermercados, mas sim um verdadeiro substituto do leite da mãe, que existe à venda em casas especializadas de produtos para animais ou veterinários.

Assim, será necessário dar biberão aos pequenos gatinhos mais ou menos de 3 em 3 horas, nas quantidades que lhe serão indicadas pelo veterinário e que constam das instruções que acompanham as embalagens de leite.
Caso o veterinário aconselhe, também pode dar alguns complementos alimentícios para um crescimento saudável, por exemplo vitaminas e cálcio.

A partir da quarta semana, os gatinhos começam a ganhar os primeiros dentes é nesta altura que é possível começar a introduzir ração para iniciar o processo de transição entre o leite e outro tipo de alimentação.
A fase de mudança do tipo de alimentação deve ser feita gradualmente, com muito cuidado e atenção. Nunca pode ser feita de forma brusca, porque o organismo do gatinho pode não aceitar bem e provocar por exemplo diarreias, que podem ser mortais nesta fase da vida.
Os gatinhos possuem estômagos pequenos, portanto é essencial que sejam pouco alimentados mas com muita frequência. À medida que eles crescem, as refeições aumentam em quantidade e podem tornar-se menos frequentes.

Com 6/8 semanas o gatinho come com autonomia. Se for saudável, não tem que ter nenhuma preocupação especial, deve proporcionar-lhe comida de gato adequada, ter sempre disponível água fresca e estar disponível para lhe dar atenção nas brincadeiras e na troca de mimos.

Nesta altura pode sentir-se descansado: a fase critica foi ultrapassada e conseguiu salvar um gatinho da morte.

Pensamentos sobre animais...

Não existe um amor tão belo como aquele que podemos receber de um animal! Pois nos motivam com sua fragilidade e nos alegram com sua companhia! :)

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Evitar que um animal desapareça

Infelizmente, existem casos de centenas de animais desaparecidos todos os dias. Existem fatores externos que não são controláveis, no entanto, se muitos de vocês quando vão de férias os deixassem num hotel para cães ou a amigos responsáveis talvez não existisse um número tão alargado destes pela rua. Aqui irão ficar algumas dicas que poderão reduzir significativamente a probabilidade do seu animal desaparecer.

Nunca deixe o seu animal passear sozinho no exterior! Fora de casa, os animais ficam expostos a inúmeros e graves perigos, tais como: 
  • atropelamento
  • doenças
  • maus-tratos
  • rapto
  • envenenamento. 
Além disso, os animais podem desorientar-se ou seguir um potencial parceiro de acasalamento e não conseguir regressar a casa. Igualmente importante é não permitir que os gatos tenham acesso a telhados ou quintais adjacentes, pois correm o risco de cair por algum buraco ou de entrar nalguma casa abandonada de onde não consigam mais sair. As coisas correm sempre bem para quem deixa o seu animal passear sozinho até ao dia em que o animal é atropelado ou desaparece de vez.

Passeie sempre o seu cão pela trela! Quando sair para passear o seu cão ou ir ao veterinário, leve-o sempre pela trela, segurando-a firmemente com a mão. Mesmo que o seu cão seja obediente, o instinto está sempre presente. Entre outros imprevistos, o seu cão pode escapar em perseguição a outro animal ou assustar-se com algum ruído forte (como foguetes ou o motor de uma mota) ou com outro animal. 
          Um cão assustado pode facilmente escapar ao seu controlo e fugir.

Transporte sempre o seu gato dentro de uma transportadora! Sempre que sair com o seu gato (para ir ao veterinário ou em viagem, por exemplo), leve-o dentro de uma transportadora apropriada. Nunca o transporte ao colo nem solto dentro da viatura. Ao sair do seu ambiente, um gato muito facilmente se assusta com ruídos ou odores estranhos, com outras pessoas ou outros animais. Um gato assustado é dificilmente controlável e pode fugir e/ou ferir pessoas e outros animais.

Tenha cuidados redobrados quando a sua cadela ou gata estiver em cio! Quando em cio, uma fêmea tenta procurar um macho e o risco de fuga ou desaparecimento é muitíssimo maior (bastará um segundo de desatenção para a sua cadela ou gata fugir). Jamais deixe uma fêmea em cio passear sozinha ou sem trela. Além dos perigos acrescidos que a fará correr, estará também a permitir que ela seja engravidada, com o consequente agravamento da já elevadíssima população de animais. Sabia que um gato pode detectar as feromonas produzidas por uma gata em cio até cerca de 1,5 km e que um cão pode detectar as feromonas de uma cadela em cio até cerca de 5 km? Os machos fazem todos os possíveis para chegar a uma fêmea em cio, inclusive saltando janelas, portões ou vedações. Para não contribuir para fugas de machos, o mais seguro para todos seria fazer passeios de trela muito breves (ou evitá-los de todo) quando uma fêmea está em cio mas, como isso nem sempre é praticável ou desejável, a esterilização da sua cadela ou gata é a medida mais responsável e protetora a tomar. 

Esterilize o seu animal! Quer seja macho ou fêmea, um animal esterilizado tem muito menos tendência a fugir para responder ao instinto de acasalamento. Em caso de desaparecimento, um cão ou gato macho esterilizado corre menos riscos, pois não perseguirá fêmeas em cio pelas ruas e não se envolverá em brigas com outros machos por causa de fêmeas. Por outro lado, mesmo que uma gata ou cadela esterilizada desapareça, a esterilização protege-a do assédio agressivo dos machos para com uma fêmea em cio e do enorme desespero de ter uma ninhada na rua, sem abrigo nem alimento suficiente para manter as crias; estando esterilizada, a sua cadela/gata "só" terá de se preocupar em cuidar dela própria e a probabilidade de sobreviver às provações das ruas enquanto não é encontrada é muito maior. Outra vantagem da esterilização é que os animais de raça definida esterilizados deixam de ser apetecíveis aos "amigos do alheio" que procuram e mantêm animais de raça para procriação e venda das crias. A esterilização oferece ainda outras vantagens ao seu animal, como uma vida mais longa e saudável. 

Identifique o seu animal! Esta simples medida poderá ser a solução no caso de o seu animal desaparecer. Identifique o seu animal com uma medalha visível com contacto telefónico (dois números de telefone, de preferência) e peça ao veterinário que implante um microchip de identificação no seu animal (esta medida já é obrigatória por lei para os cães nascidos a partir de 1 de Julho de 2008). No caso de gatos, é importante que a coleira seja pelo menos parcialmente elástica/extensível. Como os gatos são muito curiosos e se enfiam por qualquer brecha, o objectivo é impedir que sejam estrangulados se ficarem presos pela coleira. Depois de implantado o microchip, contate a base de dados de microchips em que o seu animal foi registado (SIRA ou SICAFE), para se certificar de que o registo já se encontra no sistema. Há relatos de registos que demoram vários meses a ser introduzidos ou que nunca chegam a ser introduzidos, por isso é vital que se certifique de que o número de microchip do seu animal está na base de dados.

Em vez de prender a trela a uma coleira, prenda-a a um peitoral! Sempre que possível, para passear o seu animal, dê preferência a um peitoral (ou arnês). Um animal assustado poderá libertar-se facilmente de uma coleira. Por outro lado, coleiras justas são muito perigosas para os animais que se encontrem em crescimento (se a coleira não for afrouxada à medida que o animal for encorpando — o que acontece se o animal se perder ou for abandonado — a coleira tornar-se-á um grave problema, podendo sufocar o animal ou entranhar-se no pescoço).Recomendamos que utilize um peitoral para passear o seu animal e que lhe coloque uma coleira frouxa com medalha de identificação. Assim, se o seu animal eventualmente conseguir rebentar ou libertar-se do peitoral aquando do passeio, permanecerá com identificação na coleira.

Não deixe o seu animal acessível a terceiros! Há cada vez mais relatos de animais que são raptados para serem explorados para procriação, venda ou "lutas" de cães. Nunca deixe o seu animal preso a um poste ou dentro do carro enquanto vai às compras. Se tiver um quintal/jardim/pátio com muros para a rua, evite deixar o seu animal sozinho nesse local enquanto não está ninguém em casa e muito menos durante a noite.

Certifique-se de que o espaço do seu animal está bem murado/vedado! Se tiver um espaço exterior, assegure-se de que o muro/vedação tem altura suficiente para impedir a saída do seu animal (é recomendável uma altura igual ou superior a 2 metros). Não mantenha o seu animal acorrentado. 

Em alturas de trovoada ou fogo-de-artifício, mantenha o seu animal no interior! Muitos animais têm medo de trovoada, fogo-de-artifício e outros ruídos fortes, podendo fugir apavorados e sem rumo. Acompanhe sempre de perto o seu animal nestas ocasiões, colocando-o num local seguro dentro de casa.

Tenha cuidados extra com portas, portões e janelas! Muitos casos de desaparecimento de animais são causados por uma simples distracção. Se tiver gatos, é essencial ter cuidados redobrados com janelas e varandas, de preferência aplicando redes mosqueteiros  plastificadas ou metálicas. Infelizmente, as quedas de gatos são muito frequentes: basta um gato assustar-se ou tentar apanhar um pássaro ou uma mosca para se desequilibrar e cair, muitas vezes fatalmente. Se o seu animal ficar numa área com portão para a rua, certifique-se de que o mesmo não pode ser aberto do exterior por estranhos. Por outro lado, se tiver de fazer obras dentro de casa ou no quintal e houver o risco de uma porta ou portão ficar aberto, mantenha o seu animal numa área segura da qual tenha certeza de que ele não conseguirá sair.

Verifique o compartimento do motor da sua viatura! Se o seu gato tiver acesso à garagem, antes de sair, abra o capôm e certifique-se de que o mesmo não está no interior. Embora não pareça um local nada confortável, é comum os gatos aninharem-se no compartimento do motor.

Seja extremamente vigilante em situações novas e não familiares! Se tiver adoptado o seu animal recentemente, se tiver mudado de casa ou se o seu animal tiver de ficar temporariamente num local que lhe é desconhecido (por exemplo, em casa de amigos ou familiares), certifique-se de que o seu animal fica numa área segura da qual não consiga fugir.As fugas pós-adopção são demasiado frequentes. Por favor, tenha ainda mais cuidado nas primeiras semanas de adopção de um animal. O seu animal precisa de tempo para se adaptar ao novo ambiente e às pessoas.

Tenha cuidados redobrados com animais seniores ou com incapacidades ou necessidades especiais! Os animais com faculdades de audição ou visão debilitadas ou inexistentes encontram grandes dificuldades em sobreviver às provações e perigos da rua, particularmente ao risco de atropelamento. De modo idêntico, os animais com necessidade de medicação regular ou de ração específica, podem não conseguir suportar a falta de tratamento e de alimentação adequada. É fundamental que a segurança destes animais esteja sob constante vigilância, pois, em caso de desaparecimento, poderá não ser possível localizá-los com a rapidez necessária.

Tenha especial atenção durante viagens! Tenha cuidado redobrado nas viagens com animais. Nesses casos, o ideal seria colocar o seu animal dentro de uma transportadora. Além de o seu animal poder saltar da janela do veículo sem que se aperceba, em caso de acidente, um animal à solta dentro do veículo será mais facilmente atirado para fora e/ou fugirá mais facilmente do local devido ao susto. Em estadias de férias, certifique-se de que o seu animal terá um lugar seguro e apropriado para ficar. A recuperação de animais desaparecidos longe do seu ambiente é bem mais difícil e trabalhosa.

Tenha fotografias atualizadas do seu animal! Na eventualidade de o seu animal um dia desaparecer, procure ter sempre uma fotografia actualizada do seu animal. Ela poderá ser essencial para que o animal seja rapidamente identificado e localizado.

sábado, 11 de maio de 2013

O que se passa com o Mochito??

Bem, foi esta a pergunta que fiz a mesma... o que será que se passa com o meu gato "Mochito"?? Não pára de miar... não tem fome, tem cama, tem tudo o que um gato sempre sonhou ter!!! Andava a miar pela casa fora e lá ía eu de vez em quando fazer umas "festas" ao gato... passado um tempo, lá voltava ele a miar!!! O que é que eu pensei? Bem, uma vez que já comeste, já dormiste, não tens frio nem calor e não páras de miar... deixa-me agarrar em ti e pegar-te ao colo e dar-te uns miminhos a ver se resolve! Foi isso que eu fiz e não é que o malandro do gato deitou-se ao meu colo como se fosse um gatinho bebé que precisa de todos os carinhos e mais alguns! Pois é, muitas das vezes quando os gatinhos ou neste caso gato, porque já tem 2 anos miam muito não os deixe a miar, faça-lhe umas festas, dê-lhe muitos miminhos, brinque com ele e vai ver que o seu gato não irá miar durante um bom tempo (se tiver todas as necessidades em dia, claro)...

terça-feira, 12 de março de 2013

Maine Coon


Maine Coon
Origem: EUA
Esperança de Vida: 9 - 15 anos
Classificação: Pêlo semi-longo
Peso: 4 - 10Kg
Tamanho: Grande
Tosquia: Necessita de cuidados com o pêlo

História
O Maine Coon é um dos maiores gatos domésticos, com uma aparência impressionante. Este grande gato é uma das raças mais antigas norte-americanas, originária do estado de Maine. De acordo com uma lenda local, acreditava-se que este gato derivou de um cruzamento de um gato selvagem e um guaxinim (racoon) o que é de todo impossível. Lena esta que originou o nome da raça: Coon do Maine ou Maine Coon. Contudo, é provável que o Maine Coon tenha resultado de cruzamentos entre robustos gatos de pêlo curto de quintas locais e gatos de pêlo comprido trazidos pelos marinheiros provenientes do Médio Oriente, Inglaterra, Rússia e Escandinávia. O clima rigoroso da nova Inglaterra contribui para o desenvolvimento do seu pêlo espesso, característica que aliás partilha com outro parente seu:  o Gato Norueguês da Floresta. A apresentação da raça ocorreu no New York Cat Show de 1861 com a apresentação de um exemplar branco e preto chamado "Captain Jenks". O Maine Coon passou por um período de relativa obscuridade quando os Persas e os Siameses foram itroduzidos nos Estados Unidos. O Central Maine Coon Cat Club, contribuiu decisivamente para o ressurgimento da raça nos anos 50, gozando actualmente de grande popularidade. Contudo, a raça só foi reconhecida como tal pelo C.F.A. e F.I.F.E. em 1976 e 1980 respectivamente.

Descrição
O maior dos gatos domésticos:

  • Corpo longo, estrutura sólida e musculatura robusta;
  • Cabeça de tamanho médio que parece pequena em relação ao corpo;
  • Nariz largo, queixo firme, focinho quadrado com maçãs do rosto salientes;
  • Mandibulas fortes e grandes;
  • Orelhas grandes, pontiagudas, largas na base a terminar em bico com tufos de pêlos nas pontas;
  • Olhos grandes, ligeiramente oblíquos mas parecendo arrendondados quando totalmente abertos, são muito afastados;
  • Pescoço médio e musculoso ligeiramente inclinado possuindo um colar de pêlos tipo juba;
  • Patas grandes, altas e musculadas com tufos de pêlos entre os dedos que são igualmente grandes;
  • Cauda longa, de tamanho igual ao corpo ou maior, larga na base e fina na extremidade.
Temperamento
Dado o seu espírito de caçador e grande agilidade, estão mais predispostos para a vida ao ar livre. Convive pacificamente com outros gatos, cães e outros animais. É um excelente companheiro para os seus donos. Possuidor de grande força, pode tornar-se num animal dominante mas não agressivo, muito comunicativo com os donos e exigente em termos de atenção.
Características principais a nível de temperamento: dócil gigante, afetuoso, delicado, energético e muito sociável.


Tipo de pêlo
Pelagem que se adapta a todas as estações do ano. Densa e sedosa com pêlos longos no abdómen e cauda mas curtos na cabeça e nas patas.



Variantes
Cria-se em todas as cores e combinações de cores (excepto o chocolate, lilás e tipo siamês).

Korat


Korat

Origem: Tailândia
Esperança de Vida: Mais de 15 anos
Peso: 2 - 5Kg
Tamanho: Médio

História
Originário da Tailândia, o seu nome é proveniente da província deste país onde terá sido criado inicialmente. Alguns séculos mais tarde, concretamente na segunda metade do século XX, esta raça consegue o seu estalão e o seu lugar de destaque. Atualmente detém já o seu lugar de destaque e autónomo em feiras e exposições da especialidade. Embora de cor escura, este gato é conotado com a boa fortuna.

Descrição

  • A cabeça é muito característica, pois assemelha-se à forma de coração;
  • O nariz é arredondado para baixo, mesmo na ponta;
  • As orelhas são grandes com pontas arredondadas;
  • Os olhos são redondos de verde e de uma luminosidade e brilho fenomenal;
  • As pernas são finas e as patas pequenas;
  • A cauda é de comprimento normal.
Temperamento
 Muito social mas particularmente caracterizado pelo seu carácter dócil.

Tipo de pêlo
Cinzento-azulado, caracteriza-se por ser liso e bastante sedoso.

Javanês




Origem: Grã-Bretanha
Esperança de Vida: Mais de 15 anos
Classificação: Pêlo semi-longo
Peso: 2 - 5Kg


História
O Javanês é originário da Grã-Bretanha e resultou de um programa de criação que tentou recriar o Angorá tradicional em 1973. Os gatos sob esta denominação, são contudo alvo de alguma controvérsia, visto não existir uma unanimidade quanto às caracterrísticas iniciais que os distinguem. Na Grã-Bretanha, o nome Javanês advém dos gatos provenientes de um programa de criação cujo objetivo era a recriação do Angorá. Na América do Norte, o nome está associado a formas de Balineses que não apresentam os quatro tradicionais points dos Siameses, enquanto que na Nova Zelândia são as formas uniformes e manchadas que caracterizam o Javanês. Em 1984, a raça ganhou o estatuto de Campeão. Em Outubro de 1989 o nome da raça foi alterado de Angorá para Javanês para ficar conforme o seu aspecto oriental. O Javanês foi recentemente introduzido nos Estados Unidos, onde já é um Supreme Grand Champion.


Descrição

  • Possui um corpo longo e esbelto;
  • Uma cabeça cuneiforme;
  • Olhos orientais, inclinados na direção do nariz;
  • Orelhas grandes e amplas, com as pontas arredondadas;
  • Focinho anguloso e cuneiforme, com um nariz direito;
  • Cauda longa.
Temperamento
Apresenta as características típicas de um gato oriental, sendo gracioso, ágil e amistoso.

Tipo de pêlo
Semi-longo, fino, macio e sedoso alcançando maior comprimento na cauda.

Variantes
a cauda.O Javanês Canela é o mais usual, no entanto já foram criados mais padrões e cores.

Inglês de Pêlo Curto

Inglês de Pêlo Curto



Origem: Grã-Bretanha
Classificação: Pêlo Curto
Peso: 4 - 8Kg
Tamanho: Grande

História
O Azul Inglês descende do gato Inglês de Pêlo Curto, uma das raças inglesas mais antigas. Julga-se que os primeiros exemplares tenham desembarcado em solo Britânico há mais de 2 mil anos, "transportados" pelas tropas do exército Romano. O Azul Inglês foi resultado dos programas de criação postos em prática no século XIX, tendo feito a sua primeira apresentação numa exposição em 1871, no Palácio de Cristal de Londres. Durante o período da II Guerra Mundial houve uma escassez de reprodutores, o que combinado com o cruzamento com outras raças provocou a deterioração da pureza da raça. Na década de cinquenta um trabalho cuidado de criação seletiva permitiu o ressurgimento do Azul Inglês "original". Com o seu pêlo extremamente felpudo, corpo robusto, e a sua cor magnífica, é sem dúvida um dos gatos mais populares da atualidade.

Descrição

  • Corpo atarracado mas forte e musculoso;
  • Cabeça redonda e larga com nariz curto;
  • Orelhas de tamanho médio e pontas arredondadas;
  • Olhos grandes e arredondados, cor de laranja ou cobre;
  • Patas curtas e fortes;
  • Cauda curta e grossa.
Temperamento

Ótimo companheiro, carinhoso, o British Shortair adapta-se facilmente a qualquer ambiente. Independente, convive com os seus donos como se fossem um dos seus, afeiçoando-se a quem lhe dá afeto.


Tipo de pêlo
Curto, muito denso e firme ao toque. Não deve ter malhas.

Variantes
Não existe consenso neste ponto, uma vez que algumas associações reconhecem o Chartreaux como uma variante genuína do Azul Inglês, mas outras consideram-no do mesmo estalão.

Observações
O seu pêlo sumptuoso exige um tratamento muito cuidado para se manter saudável e bonito.